Terminando Taleb

Acabei de ler o livro no final de nossa última viagem dessas férias, e posso dizer que aprendi muito mesmo. Tanto que pretendo reler e dar uma olhada no Fooled by Randomness, Entre tantas coisas aprendidas, seguem minhas singelas anotações finais.

Leis escaláveis nas Escrituras: “Porque a todo o que tem dar-se-lhe-á, e terá em abundância; mas ao que não tem, até aquilo que tem ser-lhe-á tirado.” (Mateus 25:29). (Nota de rodapé da p. 275)

Categorias mentais contagiosas (falando sobre ideias) devem ser aquelas nas quais estejamos preparados para acreditar (estamos interessados nas ideias que portamos e até as distorcemos). Para que seja contagiosa, uma categoria mental precisa concordar com nossa natureza (predisposição genética?). P. 279

Quando as pessoas discutem o acaso, pensam na própria sorte. A sorte dos outros conta muito, pois é ela que irá suplantar os vencedores de agora. P. 281

A inteligência é mais injusta que a própria sorte, pois as capacidades genéticas e iniciais são diferentes. A sorte tem a propriedade de reembaralhar as cartas da sociedade. P. 281

Cognitive Diversity: How Our Individual Differences Produce Collective Benefits, de Scott Page. P. 284

A cauda longa dos caras pequenos (esperando ficar grandes) pode ajudar a fomentar a diversidade cognitiva, funcionando como a evolução, subvertendo as grandes estruturas, o que nos livra do modo único platonificado de se fazer as coisas – no final, o empirista prático isento de teorias deveria prevalecer. P. 284

A maior concentração entre bancos parece ter o efeito de tornar as crises financeiras menos prováveis, mas quando acontecem são de escala mais global e atingem-nos com mais força. P. 285

Teoria das redes: elas têm a tendência de se organizar em uma estrutura altamente concentrada. Serve para qualquer tipo de rede (internet, redes sociais, rede elétrica). Danos aleatórios dificilmente são globais (a não ser que atinja algum dos centros). P. 286

As regras da sociedade podem ser reescritas com facilidade por aqueles na base da pirâmide para evitar que a concentração faça mal a eles (exemplo da religião, que transformou a poligamia na democracia de úteros). P. 287

O gráfico mandelbrotiano é escalável, diferente do gaussiano, não-escalável. Ou seja, enquanto as chances de encontrar alguém que fuja da estatura média fica enormemente mais raro a cada pequeno incremento, o mesmo não acontece com a riqueza humana, que diminui as chances de encontrar alguém mais rico de maneira proporcional ao patrimônio (em um grupo de muitos ricos também existirá um seleto grupo dos estupidamente ricos). Pp. 291-3

O que deve ser lembrado: as variações gaussianas enfrentam um vento contrário que faz as probabilidades caírem cada vez mais rápido, enquanto variações mandelbrotianas não têm tal restrição. P.295

Do ponto de vista da desigualdade, na mandelbrotiana ela é sempre a mesma, enquanto muda radicalmente na gaussiana (esquema dos muito ricos). Se você escolher duas pessoas para somar um milhão em patrimônio, o mais provável é encontrar uma relação 950/50, e não 500/500. P.295

Transforma a relação de Pareto (80/20) em algo mais próximo da realidade do Extremistão (50/1, por exemplo, 50% do trabalho é feito por 1% das pessoas). P.296

Existem dois tipos de aleatoriedade. O que permite desvios muito grandes, mas muito raros (um gigante que não atrapalhe a média da população de anões) pertence ao Mediocristão. Também pertence a ele a certeza de podermos tomar café tranquilos, pois a xícara nunca irá pular toda para fora da mesa. Pp.298-9

O principal fato do café e do cassino serem investimentos seguros é a divisão das probabilidades em minúsculas partículas. A chance de uma catástrofe acontecer está limitada a quase nada. P.299

A estrutura gaussiana de ver as coisas pode até servir para coisas binárias, onde temos apenas duas situações possíveis: sim/não. Porém, ao lidar com questões onde magnitudes importam, terá sérios problemas quando um único número (fora da curva) comprometer todas as “médias históricas”. Pp.306-7

Duas suposições confortantes em uma curva de sino (cara ou coroa): 1. Os lances são independentes entre si, os que o faz sem memória e sem, portanto, vantagem cumulativa; 2. Não existem saltos “descontrolados”, pois cada passo possui um tamanho definido de um passo. Se qualquer um desses dois pressupostos não for respeitados, não estaremos em uma situação controlada pela curva de sino. Pp.313-4

Mandelbrot conseguiu transformar alguns Cisnes Negros em Cisnes Cinzentos (mas não todos) graças à estratégia dos fractais, uma maneira de encarar as regras da natureza e da sociedade, ou pelo menos de ter algumas pistas de como as coisas funcionam. Cap. 16

Muita coisa ainda a aparender, mas o importante é que vários caminhos foram abertos na mente.

Comments are closed.