O Corvo

May 24, 2012 in Cinema

The Raven. EUA/Hungria/Espanha, 2012. Direção: James McTeigue. Roteiro: Ben Livingston, Hannah Shakespeare. Elenco: John Cusack, Alice Eve e Luke Evans.

Thriller sobre as obras de Edgar Allan Poe não fazem jus à obra do escritor.

Edgar Allan Poe é considerado um dos precursores da literatura norte-americana, e com Júlio Verne, dos gêneros de ficção-científica e fantástica. Suas histórias geralmente giram em torno de crimes e mortes bizarras, o que revela não apenas a genialidade na arte de escrever como também sua criatividade mórbida, fruto do mais novo filme sobre ele, O Corvo, estrelando John Cusack na pele do escritor de contos.

A ideia da trama gira em torno de seus contos e a morte misteriosa de Poe, encontrado em estado catatônico em um parque. Tudo se inicia quando um assassinato começa a recriar as cenas de crimes contidas nos contos do esctitor. Determinado a encontrar o lunático, o detetive Fields (Luke Evans) encontra em Poe um forte aliado por ter todos os passos do próximo assassinato em sua mente, na memória de suas obras.

Contrariando as expectativas de ter um mestre e gênio da literatura encarnado, a introdução apresentada pelo filme desaponta pelos inúmeros diálogos expositivos sobre a figura de Allan Poe, como se estivéssemos falando já de uma figura ilustre da literatura, chegando a incluir desnecessariamente a anedota sobre o preço que sua obra-prima, o poema O Corvo, foi vendido para custear seu vício com bebidas.

A escolha de John Cusack torna-se logo de início obviamente errada, pois apesar de sua introspecção e ausência de expressão (ou exagero), a figura de Poe parece nunca atingir as expectativas que são geradas por uma das figuras mais emblemáticas e geniais da literatura mundial. Sua ironia não é vista, apesar da história sugerir sutilmente em seu desfecho, único momento em que vemos as influências dos textos de Poe inseridos na narrativa. Até quando o ilustre escritor visita pela primeira vez uma cena de um dos seus crimes fictícios para ele é como se apenas constatasse mecanicamente os detalhes de seus parágrafos visto em cores sombrias de uma Baltimore cinzenta e enevoada.

Porém, os erros não se limitam ao desempenho de Cusack, mas pioram na criação de um suposto interesse romântico do autor e ao mesmo tempo sua inspiração, o que soa artificial todo o tempo, ainda mais se considerarmos uma atuação nada significativa de Alice Eve como Emily Hamilton, o que chega a comprometer seriamente a história em momentos-chave da trama.

Os aspectos técnicos, no entanto, conseguem transmitir com precisão o ambiente sufocante de uma Baltimore do século IXX, em uma fotografia sem muitas cores saltando da tela, com um Egdar Allan Poe devidamente vestido de preto e com capa e, é claro, uma névoa que cobre boa parte do cenário nas cenas externas e que muito lembra Do Inferno, onde víamos em vez de um copycat do escritor o famigerado Jack o Estripador representado pelos becos escuros e sujos de Londres.

De uma forma talvez irônica, o fato das mortes terem como essência as mesmas cenas idealizadas nas obras do escritor gera a interessante questão que talvez a vontade de ver mais assassinatos clássicos é o que move a trama e não a resolução dos crimes e descobrimento do culpado, que nunca chega a ocupar o tema central. Nesse sentido a história parece ficar sempre estacionada em uma investigação infértil e que vai aos poucos criando episódios separados, recortados e juntos apenas pela trilha que lembra erroneamente mais uma aventura de games do que um filme de mistério, esse que seria talvez o maior equívoco do longa.

Ainda assim, seu desfecho desperta uma atenção que até então estava adormecida, e seu feitor é igualmente interessante, motivo pelo qual o terceiro ato parece tão mais curto e tão menos desenvolvido que todo o resto. Porém, terminando desastrosamente mal, com o uso de um clichê que mais envergonha do que homenageia a figura de Poe, os créditos acabam expondo o que desconfiávamos desde o princípio: não havia sombra de um objetivo definido ao contar a história.