Posts tagged básico do básico

Registradores da CPU

Básico do básico: assembly

5

É lógico que não poderia faltar no cinto de utilidades de todo bom programador C conhecimentos básicos da linguagem assembly, sua mãe espiritual. São tantos conceitos em comum que, uma vez aprendido seu funcionamento, fica difícil não pensar no código-assembly gerado pelo compilador C. E é nesse ponto que as coisas começam a ficar mais claras.

Antes de tudo, é importantíssimo lembrar que o foco aqui é apenas a arquitetura 8086, um dos marcos na invenção de computadores de massa, mas que existem trocentros outros modelos de processadores e computadores funcionando mundo afora. Não deixe sua mente fechar para os outros tipos de modelos.

A CPU trabalha em conjunto com a memória RAM. Só que o acesso à essa memória, apesar de rápida, não é comparável à velocidade em que as coisas ocorrem dentro da própria CPU. Esse é apenas um dos motivos para a existência de um conjunto bem menor de memória que vive nas entranhas do processador, bem ao lado dele. São os chamados registradores.

(more...)

Número um e zero caindo do computador.

Básico do básico: binário

8

Número um e zero caindo do computador.Apesar do tema binário, o assunto de hoje no fundo remete-nos a todo e qualquer tipo de representação. É o faz-de-conta um pouco mais intenso, vindo das profundezas da matemática e dominado com maestria pela nossa mente e sua capacidade lógica de abstrair.

Como todos sabemos, nós, seres humanos, somos dotados de dez dedos: cinco em cada mão. Isso influenciou fortemente nosso sistema de contagem de coisas, e, como consequência, nossa forma de representar números.

No entanto, números serão sempre números, independente de seres humanos e de dedos. Outros seres inteligentes de outras galáxias poderiam representar os mesmo números, sendo um conceito lógico independente de raça, usando qualquer outra forma e quantidade de símbolos. Por falar em símbolos, nós temos dez, a saber:

0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9

Outros seres poderiam usar, sei lá, dois:

0, 1

É lógico que esse '0' e esse '1' podem ser representados por outros sinais, como pedra e pau, cara e coroa, tico e teco, e por aí vai a valsa.

O importante é que seriam na quantidade de dois.

(more...)

Forma de bolo.

Básico do básico: tipos

7

Forma de bolo.Um tipo nada mais é que do que uma forma (ô) de bolo, que molda a memória como acharmos melhor moldá-la. Bom, para isso fazer sentido é necessário explicar memória, que é um conceito mais básico ainda.

A memória é qualquer lugar onde eu possa guardar alguma coisa. No artigo anterior era um punhado de gavetas. Mas poderiam muito bem ser caixas de presente. Ou um caderno. Ou até uma placa de memória RAM. O que sua criatividade quiser.

O importante no conceito de memória, computacionalmente falando, é saber que ela pode guardar qualquer tipo de informação, mas ela não sabe o que você está guardando. E eis que surge o segredo do tipo: ele conta para você, e seu programa, o que de fato está guardado na memória.

Vamos exemplificar.

(more...)

Gavetas representando posições na memória.

Básico do básico: ponteiros

6

Alicerces de uma casa.Nessas últimas semanas tenho gastado meu tempo junto da mais nova pupila da SCUA, aspirante a programadora em C e Install Shield Script. Minha tarefa? Explicar tudo, desde o mais simples, como variáveis, até as coisas não tão triviais, como símbolos de depuração.

Posso afirmar que tem sido muito compensador ativar algumas partes do meu cérebro que acreditava nem mais existirem. Rever velhos conceitos, apesar de manjados, nos dá a oportunidade de lembrar que as coisas mais complexas que construímos no dia-a-dia se baseiam em um punhado de preceitos básicos que é essencial ter na cabeça. E nunca esquecê-los.

Meu amigo costuma chamar esses preceitos básicos de fundamentais. Isso por um bom motivo lógico e semântico: tudo que aprendemos de básico sobre qualquer área de conhecimento serve-nos de base para suportar as outras coisas que virão a ser entendidas na mesma área de conhecimento. Ou seja: é a parte mais importante a ser aprendida. Sem ela, a base, não nos é possível construir nada sólido e duradouro. Sem ela, toda a estrutura construída a posteriori se rompe e vai abaixo.

Foi partindo desse princípio que me preocupei com esmero para explicar as peças mais fundamentais do conhecimento em jogo, formadoras da cabeça de um programador para sempre, seja em C como em qualquer outra linguagem. E como nada é bem explicado sem formar imagens na cabeça, aproveitei para desenhar alguns esboços no papel. Aqui vão algumas explicações que estive artisticamente "documentando" para minha nova colega.

(more...)

Go to Top