Oitavo Encontro do Grupo C/C++ Brasil

Esse final de semana ocorreu mais um dos inesquecíveis encontros dos programadores C++, dessa vez ao estilo “velhos tempos”, com direito a entrada gratuita e um grupo mais coeso, quase já íntimo, e mais animado.

Não só pela informalidade da ocasião, tivemos palestras interessantes que dessa vez conseguiram abranger temas bem diversificados e fugir um pouco do feijão-com-arroz de desenvolvimento Windows que muitos encontros anteriores haviam se transformado.

Logo no começo do dia tivemos Vinicius Jarina apresentando-nos a possibilidade de usar Lua como um script rápido de embutir em código C++ sem muitos percalços.

Já o mesmo não se pode dizer dos detalhes quase sempre matadores do desenvolvimento mobile, como vimos com Gianni Rossi.

Como não poderia deixar de faltar, Rodrigo Strauss nos apresenta, agora formalizadas, as mudanças do novo padrão C++ que acaba de ser aprovado.

Em seguida, Rodrigo Kumpera mais uma vez apresenta um debate que parece recorrente no grupo, discorrendo sobre modelos de memória e a dificuldade de sicronizar diversos recursos em múltiplas CPUs.

Para finalizar, uma palestra-bônus de um rapaz que infelizmente não consegui lembrar o nome (nosso saite, nesse momento, está fora do ar), mas Marcelo Zimbres Silva (thanks to @AlbertoFabiano, que postou o linque para sua palestra), que fez uma breve apresentação do ROOT, um framework de análise de dados usados pelos físicos e que poderia ser utilizado facilmente pela comunidade C++. Fiquei particularmente interessado no exemplo de análise do histórico Bovespa e o pontencial da biblioteca. Também foi muito bem-vinda a presença de um físico em um grupo muitas vezes acusado de xiita.

E por falar em xiita, vejam só: uma série inédita de palestras sem nenhuma estar falando especificadamente sobre Windows. O que acham?

Como bônus, dessa vez tivemos nossas palestras filmadas. Apenas peço paciência para a fase de edição, onde devo utilizar os slides dos palestrantes para tornar o visual mais didátivo do que uma câmera se movendo freneticamente de um lado para o outro. Algumas partes podem ter ficado de fora por alguns problemas técnicos (sou marinheiro de primeira viagem), mas o mais importante, com certeza, está gravado.

377 Visitas no Total 2 Visitas Hoje